Página do Adorável Noite no Facebook

22/04/03

Não poderíamos deixar passar em branco essa conquista do nosso grande amigo Paulo Castro. Alguém que admiramos como escritor há muito tempo, e como pessoa há mais tempo ainda.




UM PSIQUIATRA NO DIVÃ
Psicoterapeuta campineiro Paulo Rodrigues de Moraes Castro vai publicar sua primeira novela em Portugal


Rogério Verzignasse
do Correio Popular
rogerio@cpopular.com.br


A gente se acomoda no divã com a certeza de que o psicoterapeuta vai encontrar soluções para todos os traumas do cotidiano. Sem dúvida, trata-se de uma ciência nobre, capaz de mudar comportamentos e salvar vidas. Pouca gente admite, no entanto, que o senhor acomodado na poltrona é um ser humano. Um homem que levou para o consultório todas as atribulações da própria vida. Longe de ser dono absoluto da verdade, ele pode errar. Às vezes comete enganos capazes de complicar mais ainda a situação do paciente.
Pois é esta face obscura do profissional da psicologia que virou subsídio do texto Fragmentos de Abstinência, do psiquiatra e psicoterapeuta campineiro Paulo Rodrigues de Moraes Castro.
Bastante conhecido pelos leitores do Correio Popular, Castro é o titular da coluna Incomodado de Nascença, publicada todas as segundas-feiras na página 3 do jornal. Castro, sob a luz da psicologia, fala de política, arte e comportamento. A novidade é que, a partir de agora, Castro arregimenta fãs na Europa.
O texto está virando uma novela, que será publicada pela Editora Casa de Artes Portuguesas. A oportunidade surgiu quase que por acaso. Castro trocava mensagens eletrônicas com adoradores da psicologia em todo o mundo.
Fez amizade com o português Paulo Brandão. E só depois de muitos e-mails trocados é que Brandão revelou trabalhar como editor naquela empresa especializada. Pediu autorização ara publicar na íntegra o texto Fragmentos..., que Castro havia veiculado em um site especializado.
O acordo foi bastante simples. Castro não vai gastar um centavo com a publicação. E vai receber uma comissão sobre cada exemplar vendido.
Bem-humorado, Castro reconhece que não pode ficar esperando nenhum dinheiro graúdo. Ele trata de temas que até os profissionais da psicologia evitam comentar. Poucos pacientes (consumidores potenciais da novela), estarão dispostos a gastar dinheiro com uma obra em que um psicoterapeuta, do pedestal de seu consultório, admite diversas vezes que é frágil, que não pode resolver tudo, que tem seu desempenho limitado pelas imposições sociais.
Mas Castro nunca teve e nem terá a pretensão de se tornar um best-seller. A consagração pessoal, diz, virá se o texto provocar a troca de idéias sobre o assunto entre os leitores. Será um debate que, ele sabe, pode se converter em benefícios aos profissionais da área e seus clientes. A ciência, em resumo, vai avançar quando o psicoterapeuta reconhecer suas próprias limitações.
Paulo Rodrigues de Moraes Castro tem 30 anos. Formou-se em Medicina pela Unicamp, em 1999, e possui um consultório no Guanabara. As pessoas interessadas em conhecer o seu trabalho e dar opiniões podem escrever para o e-mail pcpsiq@aol.com

Fonte: Correio Popular

Adorável Noite